sexta-feira, 20 de março de 2015

[FUTEBOL NACIONAL] - Chapecoense/SC faz história. De novo...

Teófilo Benarrós de Mesquita
Foto: Cleberson Silva/Chapecoense
http://www.flickr.com/photos/chapecoenseoficial

Manaus/AM - Em cinco anos, a Chapecoense/SC saiu do porão para a Elite do Futebol brasileiro. A ascensão, embora possa ser considerada meteórica, foi também muito sofrida, difícil. Tudo começou logo na primeira edição do Campeonato Brasileiro da Quarta Divisão, a Série D, em 2009, quando o time do interior catarinense ficou com a terceira colocação. No ano seguinte, na Terceira Divisão (Série C), terminou em sétimo lugar, eliminado pelo Vice-Campeão Ituiutaba/MG. Bateu na trave em 2011, terminando a Série C em quinto lugar. O Acesso veio finalmente em 2012, com o terceiro lugar. Na Segunda Divisão (Série B) por pontos corridos, a promoção veio logo no primeiro ano (2013), com o Vice-Campeonato, atrás apenas do Palmeiras/SP. Agora em 2015 vai disputar sua segunda edição consecutiva na Primeira Divisão, a quarta alternada: 1978, 1979, 2014 e 2015.

Galgar as divisões num intervalo de cinco anos é um feito histórico, alcançado por poucos clubes do Brasil. Nesta semana o jovem clube, fundado em 1973 (vai completar 42 anos em 10 de maio), entrou mais uma vez para a história. Ao se classificar para a Segunda Fase da Copa do Brasil, eliminando a necessidade do Jogo de Volta, após golear o Interporto/TO por 5-2, na noite desta quarta-feira (18/03), jogando em Porto Nacional/TO, o presidente da Chapecoense/SC, Sandro Pallaoro colocou o clube de nova na história, ao atender a um inusitado pedido da Diretoria do Interporto/TO. Pelo regulamento da Copa do Brasil, por ter eliminado o Jogo de Volta, a Chapecoense/SC faria jus a 60% da renda da partida. Mas o presidente do Interporto/TO, Hélio Freitas, fez o pedido para ficar com a renda total, o que foi aceito.

"Eu expliquei que esse dinheiro faria muita diferença para nós e que para eles nem tanto. Ele foi muito gentil e cedeu os lucros para o nosso clube", contou Freitas. A versão foi confirmada por Pallaoro. "Nesse momento, os cerca de 10 mil reais que teríamos direito não iriam fazer grande diferença no orçamento do clube. Mas a gente sabe que para o Interporto/TO esse montante vai ajudar e muito, afinal já passamos pelas mesmas dificuldades que muitos times do interior enfrentam", explicou o dirigente do clube catarinense. A renda da partida foi de R$ 33.580,00 para um público pagante de 1.059 torcedores.

Com cordiais
Saudações Fastianas!
Teófilo Benarrós de Mesquita

[DIÁRIO DE VIDA (QUE SEGUE, E SE RENOVA...)] - Maria Cecília Caldas de Mesquita Cavalcante

Manaus/AM - Vou repetir o título da postagem: Maria Cecília Caldas de Mesquita Cavalcante. Nome pomposo, forte... De Princesa... De Rainha... De vida renovada!!! Veio ao mundo no dia 8 de Março de 2015, às 23h20min. Nasceu no Dia Internacional da Mulher. Nasceu no mesmo horário que sua vozinha Carla Alessandra Pinto Caldas de Mesquita, minha esposa Carlinha, nos deixava em 31 de Dezembro de 2013.

Hoje, 20 de março, a Maria Cecília Caldas de Mesquita Cavalcante já tem 12 dias. Já reconhece a voz do vovô Téo... Já sentiu o calor do ombro e da barriga do vovô. Alegra a casa todas as horas do dia, mesmo quando está chorando. O tio Raul Carlos não sai para a escola, de manhãzinha, sem entrar no quarto e dar um cheirinho na sobrinha. Tudo renovado.

Muito feliz !!! Muito, muito feliz, como há muito não me sentia.

Obrigado, minha amada Scarlett Syssi. Vida longa à nova família, com Bruno Cavalcante.




quarta-feira, 18 de março de 2015

[CAMPEONATO AMAZONENSE 2015] - Fast Clube/AM goleia Operário/AM e volta ao G4

Teófilo Benarrós de Mesquita
Foto: Lissandro Widson
Site Oficial do Fast Clube
http://fastclube.com.br

Manaus/AM - Foi um jogo de placar construído de forma atípica. Foram seis gols, mas apenas quatro valeram. E poderia tranquilamente ter acontecido mais seis gols. O Fast Clube/AM dominou seu adversário o tempo inteiro e o Operário/AM nem de longe lembrou aquele time aguerrido, que engrossou contra o Princesa do Solimões/AM, Nacional/AM e São Raimundo/AM. A goleada sofrida na noite desta terça-feira (17/03), no Estádio Municipal Jornalista Carlos Zamith, manteve o time na última colocação da Fase Classificatória do Campeonato Amazonense 2015, após o fechamento da quinta rodada.

A forma como os gols foram marcados foi curiosa. Em três minutos, dois gols, ambos anulados por impedimento, aos 5 e aos 8 minutos. Num momento crítico do jogo, quando estava com um jogador a menos, os dois gols que valeram, num intervalo de 11 minutos: Roberto Dinamite aos 35 e Charles aos 46 minutos. No segundo tempo, depois de perder meia dúzia de gols feitos, dois gols para fechar o placar em um minuto - Amaral aos 45 e Da Silva aos 46 minutos. Com a goleada, o Fast Clube/AM voltou à Zona de Classiicação, o G4, com nove pontos, ocupado a terceira posição, e voltou a ter o melhor ataque da competição, com 11 gols marcados em quatro jogos.

Foi a primeira vez que a dupla de atacantes Felipe/Charles começou como titular. Mas o primeiro chute a gol foi do Operário/AM, com Alberto batendo cruzado, mas muito mal. Daí em diante só deu Fast Clube/AM com raros momentos de exceção.Aos 5 minutos, Amaral cruzou da direita e Felipe marcou, de peito, mas o assistente Marcos Santos Vieira anulou o gol, por impedimento do atacante fastiano. Três minutos depois, de novo pela direita, Amaral cruzou para Felipe, que ajeito para Charles marcar, novamente com invalidação do gol por impedimento. Os jogadores fastianos reclamaram muito e Rondinelle acabou levando cartão amarelo.

Rosembrick lançou Michell, que penetrou em velocidade e rolou para Felipe, que perdeu de forma incrível, frente à frente com Victor, batendo à esquerda do goleiro, para fora, ao 10 minutos. Outra jogada envolvente do Fast Clube/AM aconteceu aos 13 minutos, com Rosembrick, Charles e Felipe, e cruzamento de Rosembrick para Felipe, impedido mais uma vez. Em chance isolada, aos 17 minutos, Robenílson bateu falta da intermediária, para fora. Aos 20 minutos, no rebote após cobrança de escanteio, Rosembrick cruzou na área e Ediglê bateu cruzado, raspando a trave direita de Victor, mas já com indicação de impedimento do zagueiro.

O Operário/AM voltou a chegar com perigo aos 21 minutos, em jogada que começou com Felipe cruzando para Robenilson ajeitar de cabeça para Paulinho, com Ediglê se esticando todo e chegando de forma providencial no corte. No rebote, Alessandro Toró bateu para fora. No minuto seguinte, Rosembrick cobrou escanteio e no rebote da zaga do Operário/AM, Michell passa para Roberto Dinamite na direita, que cruza na área onde Felipe cabeceia para o gol, mas fraco, facilitando a defesa de Victor.

Pelo lado direito ofensivo, Rodrigo Ítalo cobrou falta buscando o ângulo superior esquerdo de Victor, os 27 minutos, com a bola passando raspando a trave. Dois minutos depois, em jogada na lateral sem grande importância, Felipe aplicou um carrinho desleal em Alberto e acabou expulso, com o cartão vermelho direto. Aos 32 minutos, Charles fez boa jogada pela esquerda, entrou na área, foi até a linha de fundo e cruzou para o meio da área, mas não tinha ninguém do Fast Clube/AM para completar a jogada.

Aos 34 minutos, o Operário/AM voltou a chegar com perigo. Alberto cruzou na área, Ediglê tirou e no rebote Felipe bateu forte, com desvio na zaga para escanteio. Na sequência da jogada, a bola foi alçada na área fastiana com três jogadores em impedimento, mas como Odaly Peres Monteiro demorou a marca os impedimentos, Nilsão ainda concluiu para o gol, jogando de forma incrível por cima da meta de Zé Carlos.

Mas o Fast Clube/AM voltou a ter as rédeas da partida a partir dos 35 minutos, quando Charles inverteu o jogo da direita para a esquerda para Rodrigo Ítalo que bateu da intermediária, com a bola desviando na zaga. Roberto Dinamite apanhou o rebote, driblou seu marcador cortando para o lado esquerdo e bateu rasteiro, no canto esquerdo de Victor, abrindo o placar.

Michell fez fila pelo meio aos 38 minutos, tabelou com Charlese bateu para defesa de Victor. No rebote, Rosembrick pegou de primeira com a bola desviando na zaga e saindo em escanteio. Aos 40 minutos, Rosembrick fez linda finta de corpo se livrando da marcação e tocou para Roberto Dinamite que costurou seus marcadores na frente da área mas bateu em cima do adversário.

O segundo gol surgiu aos 46 minutos, com Rosembrick bate falta para Michell, que entra na área e chuta forte com Victor rebatendo e Charles enchendo o pé e estufando as redes.

Os clubes voltaram para o segundo tempo com uma alteração, cada. Rondinelle, que já tinha cartão amarelo e cometia muitas faltas, foi substituído por Lê no Fast Clube/AM. Carlos Tozzi tirou Felipe e colocou Neto, para dar mais ofensividade ao time. O Fast Clube/AM continuou dominando a partida e logo aos 3 minutos Michell roubou de Lucas Velhinho na saída da bola olhou o goleiro Victor adiantado e bateu por cobertura, quase marcando um golaço.

Robenilson perdeu um gol incrível aos 5 minutos, depois que Neto cruzou da esquerda e o atacante do time manacapuruense subiu para cabecear em completa liberdade, mas fraco, nas mãos de Zé Carlos. Cinco minutos depois, após cruzamento na área de Rosembrick pelo lado esquerdo, Jandão quase marca contra, de barriga. Na cobrança de escanteio de Rosembrick, Ediglê recebe livre no meio da área mas isola, batendo muito por cima.

Clemilton em cobrança de falta frontal, aos 16 minutos, levou perigo à meta do goleiro Zé Carlos. Aos 27 minutos Charles arrancou pelo meio, passando por todos e foi derrubado por Jandão, que recebeu o segundo cartão amarelo e acabou expulso. Charles foi substituído por Eliélton, e a partir dos 28 minutos o jogo assumiu característica de treino para o Fast Clube/AM, que perdeu inúmeras chances de gol com Eliélton e Michell, que se tivesse aproveitado metade das oportunidades desperdiçadas teria fechado a rodada como artilheiro isolado da competição. Aos 29 minutos, Da Silva bateu da intermediária e Victor defendeu em dois tempos, depois de bater roupa na primeira tentativa de defesa.

Aos 34 minutos, Da Silva lançou Michell que, na cara do gol, desperdiçou, batendo rente à trave direita de Victor. Um vacilo de Amaral, no minuto seguinte, e Matenay limpou o lance e bateu com muito perigo. O treino seguia e, aos 36 minutos Lê tocou para Michell, que rolou para Eliélton aberto no lado direito, mas o atacante demorou a concluir e deu tempo de recuperação para a zaga adversária, que aliviou para escanteio. Dois minutos depois, novamente Eliélton entra na área driblando tudo que aparece na frente mais adianta a bola na hora da conclusão, com Victor saindo e fazendo a defesa nos pés do atacante.

Michell perdeu a mais incrível chance de gol aos 40 minutos, quando recebeu de Eliélton e avançou sozinho, como quis e na frente de Victor bateu para defesa do goleiro com o pé, com a bola passando por cima do travessão. Clemilton foi expulso aos 43 minutos, após levar o segundo cartão amarelo por falta em Eliélton - foi sua segunda expulsão na competição. No minuto posterior, Rodrigo Ítalo lançou para Eliélton que mais uma vez desperdiçou, com Lucas Velhinho tirando em cima da linha.

Bastou a bola cair em pés diferentes de Michell e Eliélton, que o Fast Clube/AM rapidinho fez mais dois gols, transformando a vitória em goleada. Aos 45 minutos Amaral matou no peito uma sobra de bola e bateu rasteiro, no canto esquerdo de Victor, marcando o terceiro gol. Da Silva recebeu na entrada da área aos 46 minutos, deu um corte no adversário e bateu no canto esquerdo, fechando o placar em 4-0.

Neto aos 47 minutos desceu em velocidade pela esquerda e cruzou para trás, com Ediglê tirando o perigo. A última chance do jogo ocorreu aos 48 minutos, mas Michell estava impedido.

Ficha Técnica:
Operário/AM 0-4 Fast Clube/AM
Campeonato Amazonense de Futebol 2015
Quinta Rodada da Primeira Fase
Terça-feira, 17 de março de 2015, às 20h
Estádio Municipal Jornalista Carlos Zamith, em Manaus/AM
Árbitro: Francisney Oliveira da Silva/AM
Assistente 1: Marcos Santos Vieira/AM
Assistente 2: Odaly Peres Monteiro/AM
4º Árbitro: Walter Francisco dos Santos/AM
Delegado: Lázaro D'Ângelo Pinheiro/AM
Renda: R$ 1.380,00
Público pagante: 76 (235 presentes)
Cartões amarelos: Rondinelle 9, Rodrigo Ítalo 12, Robenilson 25, Rosembrick 41 e Roberto Dinamite 45 minutos do primeiro tempo. Lucas Velhinho 2, Jandão 12 e Clemilton 25 minutos do segundo tempo.
Expulsões: Felipe 29 minutos do primeiro tempo. Jandão 27 e Clemilton 43 minutos do segundo tempo.
Gols: Roberto Dinamite 35 e Charles 46 minutos do primeiro tempo. Amaral 45 e Da Silva 46 minutos do segundo tempo.

Operário/AM: Victor; Clemilton, Jandão, Wallace e Alberto; Lucas Velhinho, Felipe (Neto, no intervalo), Nilsão e Alessandro Toró (Djalma 23/2º); Paulinho (Matenay 10/2º) e Robenilson. Treinador: Carlos Tozzi.
Suplentes: Júnior, Fabrício, Matenay, Djalma, Róbson, Marabá, Neto, Alan e Haílton Lima.
Fast Clube/AM: Zé Carlos; Amaral, Ediglê, Márcio Abrahão e Rodrigo Ítalo; Rondinelle (Lê, no intervalo), Roberto Dinamite, Michell e Rosembrick (Da Silva 19/2º); Felipe e Charles (Eliélton 28/2º). Treinador: Ney Júnior.
Suplentes: Labilá, Jamesson, Bigú, Varley, Xavier, Lê, Souza, Da Silva, Deivid Macedo e Eliélton.

Com cordiais
Saudações Fastianas!
Teófilo Benarrós de Mesquita

terça-feira, 17 de março de 2015

[CAMPEONATO AMAZONENSE 2015] - Nacional/AM vence Manaus FC/AM, mantém 100% de aproveitamento e reassume a liderança

Teófilo Benarrós de Mesquita
Foto: João Paulo Oliveira
Agência Manaus FC/AM
www.manausfc.com.br

Manaus/AM - Uma das principais contratações do Manaus FC/AM para a temporada, somente na quinta rodada que o atacante Allex Titton pode finalmente estrear no Campeonato Amazonense 2015, na noite desta segunda-feira (16/03), no Estádio Ismael Benigno, a Colina. E por essas obras dos Deuses do Futebol, foi exatamente contra o time pelo qual jogara anteriormente no Amazonas, o Nacional/AM, onde apesar do breve tempo, conquistou a torcida. Era, sem dúvida, o principal atrativo da partida.

Para arrumar um lugar para o estreante da noite, Fábio Luiz recuou Célio para o meio de campo, barrando Messi. E optou pela volta do cão de guarda Derlon, no lugar do ofensivo Meirelles. Tudo para dar ao time consistência defensiva, mantendo a ofensividade com Célio, Titton e Claudinei. O Nacional/AM no segundo jogo sob o comando de Aderbal Lana, repetiu o time dos dois jogos anteriores.

Em campo, as opções dos treinadores surtiram efeito, com um início de partida em alto nível. Com dois minutos de jogo o Manaus FC/AM já mostrava suas credenciais, em contra-ataque com a dupla Célio/Claudinei, que foi parado com falta pela defensiva azulina. O Nacional/AM também chegou cedo com perigo, logo aos 4 minutos, com cabeceio forte de Wanderley, o baixinho de boa impulsão, com Jonathan intervindo com boa defesa, mandando a escanteio. Um minuto depois, Titton usou uma de suas características, o chute de longa distância, em sua primeira tentativa de marcar.

O prenúncio era realmente de um grande jogo e aos 7 minutos já teve o primeiro gol. Após cobrança de escanteio, Wanderley subiu mais que a zaga adversária e abriu o marcador, anotando seu quarto gol na competição, se igualando a Célio (Manaus FC/AM), Jonas (Operário/AM) e Ramón (São Raimundo/AM) na artilharia do Barezão 2015. O gol inaugural não diminuiu o ritmo das equipes. Pelo contrário, animou ainda mais a partida. Aos 9 minutos o Manaus FC/AM quase empatou, em cobrança de falta de Eduardo Magrão que passou muito perto da trave de Rodrigo Ramos. Após tabelar com o lateral-direito Peter, Fininho desferiu perigoso e potente chute, assustando Jonathan.

Fininho apareceu de novo no jogo aos 20 minutos, recebendo na frente, mas se enrolando no domínio de bola e desperdiçando o ataque. Aos 22 minutos ele acertou a jogada e bateu firme, mas a bola desviou no meio do caminho, saindo em escanteio. Um minuto depois foi a vez de Eduardo Magrão arriscar da intermediária, com perigo mas por cima do gol de Rodrigo Ramos. Jonathan voltou a trabalhar aos 24 minutos, encaixando com segurança a conclusão do lateral-direito Peter.

Claudinei tentou a jogada em velocidade, aos 30 minutos, mas foi parado com falta. Na cobrança de Eduardo Magrão, sem chances para Rodrigo Ramos, o empate do Manaus FC/AM, aos 32 minutos. O Nacional/AM tentou voltar à frente do marcador em duas cobranças de falta. Na primeira, aos 34 minutos, sofrida por Fininho, Wanderley mandou por cima do gol de Jonathan. Na segunda, Wanderley é quem foi derrubado, bem próxima da entrada da área, e Peter cobrou com estilo, aos 37 minutos, com Jonathan se esticando todo para espalmar e evitar o segundo gol nacionalino.

Não deu de bola parada, aconteceu em jogada trabalhada. Aos 40 minutos, Peter apareceu bem no ataque novamente e cruzou para a certeira cabeçada de Lídio, colocando o Nacional/AM de novo em vantagem no placar. Um minuto depois a jogada praticamente se repetiu, mas desta vez Leonardo cabeceou por cima do gol.

Em desvantagem, o Manaus FC/AM voltou para a segunda etapa com Kemerson no lugar de Eduardo Magrão, e pressionando o Nacional/AM. Logo aos 2 minutos, Jerson cobrou falta, Rodrigo Ramos espalmou e no rebote Derlan isolou. Aos 4 minutos Célio sofreu falta na entrada da área, Mas Jerson bateu mal, muito por cima. Titton recebeu dentro da área, aos 8 minutos, e bateu cruzado, raspando a trave esquerda de Rodrigo Ramos. Afoito em busca do gol de empate, Claudinei foi pego em impedimento em duas jogadas ofensivas seguidas, aos 9 e aos 13 minutos.

Um festival de cartões amarelos ocorreu no segundo tempo, com seis jogadores sendo premiados: Maurício Leal, Dênis, Derlan, Bruno Potiguar, Tubarão e André Luiz. O Manaus FC/AM tinha mais a posse da bola, mas as chances não eram tão reais quanto as criadas no primeiro tempo. Aos 21 minutos, Titton recebeu no meio e chutou forte, mas para fora. Leonardo cabeceou com perigo, aos 27 minutos, por cima da trave.

Em seis minutos, Aderbal Lana fez as três substituições regulamentares: aos 24 minutos tirou Robinho e colocou Kelvin; dois minutos depois trocou Lídio, machucado, por Felipe Manoel; e aos 30 minutos efetivou Thiago Marin na vaga de Fininho. Fábio Luiz colocou mais um atacante, no Manaus FC/AM, quando trocou o meia Jerson por Joiner, aos 34 minutos.

Nos contra-ataques, o Nacional/AM chegava com perigo. Aos 34 minutos Peter cruzou da direita e Bruno Potiguar não alcançou. Um minuto depois, Wanderley recebeu cruzamento e tentou o voleio, sem sucesso, se atrapalhando na jogada. Aos 37 minutos com Peter, e aos 38 com Wanderley, as tentativas foram frustradas pelo zagueiro Fábio Gomes.

Célio concluiu mal, aos 39 minutos, e aos 42 minutos Titton bateu para o gol e na sobra Claudinei chutou forte, mas com corte da defensiva nacionalina. Nos minutos finais, o Nacional/AM administrava a posse de bola e só se lançava ao ataque na boa. No final, prevaleceu o placar construído no primeiro tempo, de bom futebol, com o Nacional/AM retomando a liderança da Fase Classificatória e mantendo os 100% de aproveitamento.

Ficha Técnica:
Nacional/AM 2-1 Manaus FC/AM
Campeonato Amazonense de Futebol 2015
Quinta Rodada da Primeira Fase
Segunda-feira, 16 de março de 2015, às 20h
Estádio Ismael Benigno, a Colina, em Manaus/AM
Árbitro: Luizinho de Souza Lima/AM
Assistente 1: Bonifácio Smith Rodrigues/AM
Assistente 2: Paulo Alves de Souza/AM
Renda: R$ 4.995,00
Público pagante: 224 (422 presentes)
Cartões amarelos: Célio 26 minutos do primeiro tempo. Maurício Leal 5, Dênis 11, Derlan 18, Bruno Potiguar 23, Tubarão 49 e André Luiz 50 minutos do segundo tempo.
Gols: Wanderley 7, Eduardo Magrão 32 e Lídio 40 minutos do primeiro tempo.

Nacional/AM: Rodrigo Ramos; Peter, Mauricio Leal, Robinho (Kelvin 24/2º) e André Luis; Denis, Lídio (Felipe Manoel 26/2º), Bruno Potiguar e Fininho (Thiago Marin 30/2º); Leonardo e Wanderley. Treinador: Aderbal Lana.
Manaus FC/AM: Jonathan; Bruno Silva, Martony, Fábio Gomes e Tubarão; Derlan, Eduardo Magrão (Kemerson, no intervalo), Jerson (Joiner 34/2º) e Célio (Messi 44/2º); Claudinei e Titton. Treinador: Fábio Luiz.

Com cordiais
Saudações Fastianas!
Teófilo Benarrós de Mesquita

segunda-feira, 16 de março de 2015

[CAMPEONATO AMAZONENSE 2015] - Muitos gols e susto em jogo épico no Carlos Zamith

Teófilo Benarrós de Mesquita
Foto: Deyvid Jhonatan

Manaus/AM - O jogo era entre times que ocupam a parte de baixo da tabela de classificação. Por isso mesmo atraiu pouca atenção. Apenas uma emissora de rádio cobriu a partida: a Webrádio Já Panamazônica, que tem como principal característica estar presente em todos os eventos futebolísticos em Manaus/AM. Começou muito ruim, evoluiu para uma partida de muitas emoções e quase termina de forma trágica, em razão de uma ambulância maquiada, sem condições de uso, em total inconformidade com a legislação esportiva vigente - o Estatuto do Torcedor, Lei Federal 10.671/2003.

O início ruim da partida foi marcado por muitas faltas cometidas. O primeiro lance de perigo real aconteceu aos 13 minutos, a favor do Nacional Borbense/AM, com Beto tocando para Simão, que bateu de fora da área, rente à trave adversária. Dois minutos depois, o goleiro Douglas em uma saída de gol precipitada, cometeu pênalti, convertido pelo time adversário, inaugurando o marcador.

Nem bem conseguiu assimilar o golpe, e o Nacional Borbense/AM sofreu o segundo gol, aos 23 minutos. O atacante do time adversário recebeu aberto pela direita e bateu com consciência, cruzado, no canto inverso do goleiro Douglas. Guilherme, em cobrança de falta precisa, diminuiu para o Nacional Borbense/AM ainda no primeiro tempo, aos 41 minutos. Mas a zaga borbense bateu cabeça aos 44 minutos, permitindo que o adversário marcasse o terceiro gol.

A sorte da partida começou a mudar logo aos 5 minutos do segundo tempo, quando Guilherme cruzou na área e a bola pegou na mão do atacante goleador da tarde. Além do pênalti, o árbitro ainda expulsou o jogador que cometeu a falta. Na cobrança de Alemão, o Nacional Borbense/AM diminuiu.

A partida entrou num marasmo e aos 30 minutos, o Nacional Borbense/AM teve outro pênalti contra si, mas o goleiro Douglas defendeu a cobrança de seu adversário. Cinco minutos depois, veio o castigo para o time adversário. Guilherme cruzou da esquerda e Jeferson, de cabeça, empatou a partida.

Aos 43 minutos, em uma saída de bola, o goleiro Douglas se chocou contra outro jogador e caiu desacordado em campo. Começou aí uma sucessão de fatos vergonhosos. A ambulância presente ao Estádio não tinha condições ideais de atendimento médico. Havia apenas o motorista, sem os enfermeiros e um médico. Para completar, o referido motorista, aproveitando o clima ameno da tarde chuvosa, tirava uma soneca no recinto interno do veículo.

Após conseguir colocar o goleiro Douglas na maca da ambulância, sem a imobilização correta, a ambulância deu pane mecânica, precisando ser empurrada por jogadores e policiais militares. Foi quando surgiu o massagista do Nacional Borbense/AM pedindo para o motorista para ir junto com o goleiro para o hospital. Após parar a ambulância para a entrada do massagista, o veículo voltou a pifar, precisando ser novamente empurrado.

No resumo da dramática ópera, Douglas acabou seguindo para o Pronto Socorro e Hospital Dr. João Lúcio Machado, próximo ao Estádio, num carro da Polícia Militar, uma medida emergencial.

Segundo o Regulamento do Campeonato Amazonense, em seu artigo 31, alínea d, cabe à Federação "providenciar para que haja ambulância a disposição, para o transporte de acidentados em todos os jogos do Campeonato".

De igual forma, o Estatuto do Torcedor, Lei Federal 10.671/2003, prevê, no artigo 16, inciso IV, ser obrigação da entidade responsável pela organização da competição, no caso a Federação Amazonense de Futebol (FAF), "disponibilizar uma ambulância para cada dez mil torcedores presentes à partida".

Ficha Técnica:
Empate do Nacional Borbense/AM em 3-3
Campeonato Amazonense de Futebol 2015
Quinta Rodada da Primeira Fase
Domingo, 15 de março de 2015, às 16h
Estádio Municipal Jornalista Carlos Zamith, em Manaus/AM
Árbitro: Carlos Augusto de Souza/AM
Assistente 1: Jander Rodrigues Lopes/AM
Assistente 2: /AM
Renda: R$ 1.670,00
Público pagante: 113 (166 presentes)
Gols do Nacional Borbense/AM: Guilherme 41 minutos do primeiro tempo. Alemão (pênalti) 6 e Jeferson 35 minutos do segundo tempo.

Nacional Borbense/AM: Douglas; Franco, Manoel Junior, Cristiano e Guilherme; Araújo, Gustavo, Beto e Simão; Marcio Ribeiro e Alemão. Treinador: Róbson Sá.

Por Decisão Editoral do Blog do Teófilo, em razão da recusa em divulgar suas atividades de pré-temporada, o time que perdeu para o Manaus FC/AM pela quarta rodada do Campeonato Amazonense de Futebol 2015 não terá divulgação neste Blog durante a competição. Lamentamos pelos jogadores que defendem as cores do clube, mas vamos respeitar a decisão da diretoria, de não querer divulgação. Os pesquisadores de outro Estados que queiram a Ficha Técnica completa desse jogo, favor solicitar via e-mal: teofilomesquita@yahoo.com.br.

Com cordiais
Saudações Fastianas!
Teófilo Benarrós de Mesquita

[CAMPEONATO AMAZONENSE 2015] - São Raimundo/AM e Penarol/AM empatam na Colina

Teófilo Benarrós de Mesquita
Foto: Site da Federação Amazonense de Futebol
http://faf-am.com.br

Manaus/AM - São Raimundo/AM e Penarol/AM fizeram um bom jogo, principalmente no primeiro tempo, na tarde deste domingo (15/03), no Estádio Ismael Benigno, a Colina, em Manaus/AM, pelo complemento da quinta rodada do Campeonato Amazonense de 2015. Ao final do encontro, o empate em 1-1 reconduziu o Penarol/AM à liderança da competição e alçou o São Raimundo/AM ao G4, grupo de quatro clubes que se habilitam à Fase Semifinal, ainda que de forma temporária e com cinco jogos disputados - somente São Raimundo/AM, Nacional Borbense/AM e Rio Negro/AM jogaram cinco vezes.

O São Raimundo/AM promoveu as estreias de Claíson, recem contratado, e Jaiminho, que demorou para ser regularizado. O Penarol/AM teve dois desfalques: o zagueiro Piru e o atacante Júnior, expulsos na última partida. Sem o zagueiro Maceió desde a segunda rodada, Marquinhos Píter precisou improvisar o volante Célio na quarta-zaga. E Célio foi um dos destaques da partida, jogando com segurança e seriedade.

O jogo começou com os times valorizando a posse de bola e muito estudo de parte a parte. O primeiro lance de perigo só ocorreu aos 11 minutos, quando Getúlio cruzou da direita buscando Ramón, no meio da área, com Alex cortando para escanteio antes da bola chegar ao atacante colinense. O Penarol/AM respondeu com Adrianinho, aos 13 minutos, que avançou pela esquerda em diagonal na direção da área, sendo parado com falta.

Com o gramado molhado em razão da chuva que caiu durante praticamente o dia inteiro, faltava aos jogadores arriscar chutes rasteiros. Aos 16 minutos, o lateral-esquerdo Vamberto ajeitou da intermediária e bateu forte, raspando o travessão de Róbson. Com atletas de muita qualidade técnica, as jogadas se concentravam muito pelo meio de campo, quase sem erro de passes.

A partida seguia equilibrada até que aos 17 minutos, o estreante Claílson invadiu a área, trombou com Célio e, na sequência, foi derrubado com um carrinho por trás pelo zagueiro Alex. Houve muita reclamação, principalmente da parte do goleiro Róbson, gesticulando que Claílson teria conduzido a bola com a mão, após trombar com Célio. Apena o volante Felipe Cristiano levou cartão amarelo, o terceiro, tirando-o do próximo jogo, contra o Nacional/AM, em Itacoatiara/AM.
Na cobrança de Ramón, aos 20 minutos, o artilheiro colocou no canto direito, com Róbson pulando para o lado oposto (foto acima). Foi o oitavo gol do São Raimundo/AM na competição, o quarto de Ramón, responsável pelos últimos quatro gols marcados pelo time colinense, sendo que três foram em cobranças de pênaltis. O São Raimundo/AM teve pênalti a seu favor em todos os cinco jogos disputados até agora. Na estreia, contra o Nacional Borbense/AM (vitória por 3-2), Diego Mipibu sofreu o pênalti e converteu a cobrança, marcando o terceiro gol da virada. Na segunda rodada, contra o Princesa do Solimões/AM (derrota por 1-3), Adonias sofreu a penalidade máxima, mas bateu por cima, quando o jogo estava empatado em 1-1. Na terceira rodada, contra o Operário/AM, Ramón marcou de pênalti o segundo gol da vitória por 2-0. Contra o Nacional/AM, pela quarta rodada, Ramón fez o gol de honra, de pênalti, que não evitou a derrota por 1-2.

Nem deu tempo de comemorar o gol e a vitória parcial, pois aos aos 22 minutos Tety recebeu de Adrianinho, fez jogada em velocidade e com extrema habilidade pelo lado esquerdo, entrando na área e batendo no contra-pé de Julião, no canto direito baixo, para igualar o placar (foto abaixo). Foi o sexto gol do Penarol/AM, o segundo de Tety, que agora é o artilheiro do time na competição. O empate fazia mais justiça ao desempenho dos times em campo.
Aos 25 minutos, em bola lançada na área, Felipe Cristiano cometeu pênalti, não marcado pelo árbitro Ivan da Silva Guimarães Júnior. Dois minutos depois, Adonias bateu falta com muito perigo, raspando a trave de Róbson. Aos 33 minutos, Raphael cobrou escanteio pelo lado direito, a bola passou por Célio e Alex e Tety chegou tocando de raspão, com a bola passando rente à trave direita. Kitó recebeu de Celsinho, aos 39 minutos, dominou, olhou, pensou... e cruzou errado, com Alex cortando. Fernando se aventurou ao ataque, aos 42 minutos, tabelou com Claílson e bateu forte, com a bola desviando na zaga penarolense e saindo em escanteio.

Na única jogada ofensiva que fez no primeiro tempo, Endy arrancou em velocidade, sem receber marcação, entrou na área e mesmo em boas condições para concluir a gol, preferiu cruzar para Kitó, mas errou o passe, jogando atrás do seu companheiro. Aos 47 minutos a jogada perigosa começou pela esquerda, com Vamberto, que cruzou para Ramón, com o atacante perdendo o tempo da batida, sendo obrigado a rolar para a entrada da área, para Adonias, que bateu muito mal, para fora.

Os dois times voltaram para o segundo tempo com as mesmas formações e logo com 25 segundos, Adrianinho tocou de primeira para Kitó, que entrou na área mas acabou desarmado por Uilton. Thompson cobrou falta na área aos 2 minutos mas Julião afastou o perigo, espalmando. Aos três minutos foi a vez do São Raimundo/AM assustar, em contra-ataque de dois jogadores contra um: Claílson e Jaiminho contra Alex, que cortou errado, nos pés de Claílson, que tocou para Jaiminho, mas o zagueiro penarolense se recuperou a tempo, cortando o lance para escanteio.

O São Raimundo/AM começou a dominar a partida, e aos 6 minutos Adonias virou o jogo para Getúlio, da esquerda para a direita, com o lateral cruzando para Ramón, que subiu com estilo e cabeceou com perigo, por cima do gol, mas raspando o travessão. Aos oito minutos, Tety tocou para Kitó, que perdeu o tempo da conclusão, deixou de cruzar para Tety e acabou recuando para Thompson, que bateu muito por cima. No minuto seguinte, Endy arrancou pela direita, tocou para Kitó que cruzou com Adrianinho, que bateu de primeira, rasteiro, raspando a trave esquerda.

Aos 10 minutos, Thompson foi lançado, mas estava impedido. No lance, ele se chocou com o goleiro Julião e acabou levando a pior, sentindo contusão. Jaiminho ciscou na frente do marcador, aos 12 minutos, e rolou na entrada da área para Claílson, que bateu por cima. Visivelmente contrariado, Adrianinho foi substituído por Leozinho, aos 16 minutos. Na primeira jogada de Leozinho ele foi seguro no meio de campo por Claílson, quando arrancava em velocidade e com muito espaço à sua frente. Claílson levou cartão amarelo e foi substituído em seguida por Joaldo.

Dois erros de Celsinho na saída de bola quase comprometem o Penarol/AM, aos 20 minutos. No primeiro erro ele se redimiu e recuperou a bola. Mas na segunda falha ele entregou de graça para Adonias, que bateu de longe e rasteiro, com a bola explodindo no pé da trave direita de Róbson. Thompson deu lugar a Binho, aos 22 minutos e Jaiminho foi substituído por Mauricélio aos 26 minutos.

A entrada de Binho fez com que Kitó recuasse para a meia e trouxe de volta a ofensividade perdida pelo Penarol/AM no segundo tempo. Aos 30 minutos o atacante grandalhão começou jogada, tocando para Tety na direita, que cruzou para Kitó ajeitar para Binho, que girou sobre o marcador e bateu, com a zaga desviando para escanteio. Aos 34 minutos, Raphael Vieira tabelou com Leozinho e bateu com perigo.

As últimas alterações pouco contribuíram para a partida. Ramón saiu para a entrada de Thomaz e Tety foi substituído por Guilherme. Aos 41 minutos, Binho recebeu de Raphael Vieira, avançou trombando, limpou o lance e bateu forte, mas por cima, na última chance da partida.

Ficha Técnica:
São Raimundo/AM 1-1 Penarol/AM
Campeonato Amazonense de Futebol 2015
Quinta Rodada da Primeira Fase
Domingo, 15 de março de 2015, às 16h
Estádio Ismael Benigno, em Manaus/AM
Árbitro: Ivan da Silva Guimarães Júnior/AM
Assistente 1: Anne Kesy Gomes de Sá/AM
Assistente 2: Luis Cláudio Rodrigues da Costa/AM
4º Árbitro: Edmar Campos da Encarnação/AM
Renda: R$ 4.180,00
Público pagante: 392 (634 presentes)
Cartões amarelos: Felipe Cristiano 19 e Jaiminho 28 minutos do primeiro tempo. Claílson 17 minutos do segundo tempo.
Gols: Ramón (pênalti) 20 e Tety 22 minutos do primeiro tempo.

São Raimundo/AM: Julião; Getúlio, Uilton, Alex e Vamberto; Fernando, Carlos da Silva, Adonias e Claílson (Joaldo 18/2º); Ramón (Thomaz 34/2º) e Jaiminho (Mauricélio 26/2ª).
Treinador: Eduardo Clara.
Suplentes: Leandro, Wilson, Joaldo, Diego Mipibu, Thomaz, Mauricélio e Róbson.
Penarol/AM: Róbson; Endy, Alex, Célio e Raphael Veira; Felipe Cristiano, Thompson (Binho 22/2º), Celsinho e Adrianinho (Leozinho 16/2º); Kitó e Tety (Guilherme 39/2º). Treinador: Marquinos Píter.
Suplentes: Pablo, Guilherme, Fernando, Binho, Mael, Jack Chan e Leozinho.

Com cordiais
Saudações Fastianas!
Teófilo Benarrós de Mesquita